a
d

WE ARE BRUNN

Let’s Work Together

Image Alt

Hidrocefalia não é uma doença exclusiva da terceira idade

Hidrocefalia não é uma doença exclusiva da terceira idade

Você já ouviu falar em hidrocefalia? Este problema é ocasionado por um distúrbio na circulação do líquido cerebral gerando o acúmulo de água no crânio. As causas desta doença podem ser congênitas (quando a criança já nasce com o problema) ou adquiridas. 

Dr. Renato Campos, neurocirurgião do Hospital Santa Luzia, em Brasília, esclarece que este problema também pode ser desencadeado por algum tipo de obstrução no cérebro. “Muitas vezes, tumores, infecções, sangramentos devido a aneurismas podem causar alterações no fluxo do líquido presente nesta região, levando à hidrocefalia”, explica. “Porém, também existem as causas não-obstrutivas da patologia, que podem ser congênitas ou desencadeadas por impactos na região da cabeça causados por acidentes, por exemplo”, acrescenta. 

O especialista acrescenta que a doença não é exclusiva dos idosos e pode, sim, se desenvolver em outras fases da vida. “Por isso, é importante ficar atento aos sintomas deste problema. Eles podem se manifestar por meio de simples dores de cabeça, a vômitos, febres, alteração do nível de consciência e até convulsões. Na terceira idade, sinais como dificuldades de locomoção, incontinência urinária e alterações na memória também podem indicar alterações neurológicas”, observa. 

Nas crianças os sintomas de hidrocefalia podem se apresentar de uma forma diferente. “Nesta fase da vida, o crânio ainda não está totalmente “fechado”, o que facilita o maior acúmulo líquido cerebral nesta região desencadeando o aumento do tamanho da cabeça”, destaca o neurocirurgião.

Quanto à prevenção, Dr. Renato Campos alerta especialmente as mães. “Muitas vezes, as formas congênitas desta doença estão ligadas às baixas taxas de ácido fólico presentes no organismo das grávidas. Por isso, é importante verificar os níveis desta substância e fazer a reposição necessária antes mesmo de engravidar, este cuidado deve ser redobrado em mulheres que fazem uso de alguns tipos de medicamentos”, conclui Dr. Renato Campos.  

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Etiam aliquet lectus sed facilisis pulvinar. Suspendisse potenti. Nulla scelerisque nec arcu in viverra. Ut tincidunt justo ac ultricies condimentum.

Adicionar um comentário

icon email mobile
icon mobile telefone
icon whatsapp mobile